“A LUTA DO HOMEM PELA A SOBREVIVÊNCIA” - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

“A LUTA DO HOMEM PELA A SOBREVIVÊNCIA”

A palavra de Deus em Deuteronômio 1:21: “o senhor seu Deus, põe diante de vocês esta terra. Entrem na terra e tomem posse dela, conforme o senhor, o Deus dos seus antepassados, disse a vocês. Não tenham medo e não desanimem”.  Desde a pré-história, há mais de 3,5 milhões de anos, que foi o maior período da nossa história, que teve mais de um milhão de anos. O período paleolítico, período da idade da pedra velha.  Nesse período o homem descobriu o fogo, por necessidade de sobrevivência, esfregando dois pedaços de madeiras desidratadas, gerando uma combustão, o homem descobriu o fogo. No entanto após a descoberta do fogo, o homem se aqueciam através de fogueiras. Surgiu a luta do homem contra os animais ferozes em defesa própria, de vez a claridade do fogo atraiam os animais ferozes. Na luta pela sobrevivência o homem aprendeu a viver em família e em grupos. Os homens caçavam animais e pescavam. Na caça o homem aprendeu a domesticar os pequenos e médios animais para sua subsistência.  No entanto as mulheres ficavam com a lida domésticas com a família e ao artesão e confecção de roupas de peles de animais. O homem no período paleolítico o viviam de forma nômade, ou seja, não permaneciam vivendo no mesmo local por muito tempo definitivamente, viviam mudando de casa, “casa de palhas, cabanas, cavernas”.  No período neolítico conhecido como idade dos metais, se refere ao período que o homem após descobrir o fogo, descobriu que algumas rochas, sendo colocadas ao fogo em alta temperatura, essas rochas passavam para o estado solido para o estado líquido, após resfriamento surgem os metais, ferro, bronze, que colocados sob formas dão formas aos materiais utilizados como ferramentas dos tipos:   lanças, espadas, facões, flechas.  De forma natural o homem do consumo de alimentos, frutos e através das sementes jogadas, surgiram a agricultura, se o homem passou a domesticas animais e a agricultura de forma de subsistência passou a sentir necessidade de demorar mais e se tornar sedentário e viver em comunidades, tribos, vila e pequenas cidades, deixando de ser nômades.  No entanto de forma natural a economia de subsistência das famílias, tribos e aldeias, deixou de ser de subsistência, de vez começou a surgir excessos de bens de uso da agricultura, tipo cavalos, jumentos e éguas e os excessos de bens de consumo, tipos pequenos e médios animais domésticos, galinhas, porcos, cabras, ovelhas, bois e vacas. Ocorreu excesso de alimentos através do cultivo da terra, excesso de milho, feijão, trigo, que por sua vez eram armazenados em silos de armazenamento, (grandes caixões feitos de madeira de lei, que eram armazenados e conservados por mais de 2 anos, resguardados e em bom estado de consumo humano. No entanto começou neste período a luta do homem contra o homem. Deram inicios as primeiras lutas e conflitos por alimentos, dado início a roubos, furtos e assaltos. Por conseguinte, surgiram os escambos, uma forma de comercio onde não existiam moedas. As pessoas se encontravam nas margens dos rios para fazerem trocas de mercadorias e de bens de consumo e de uso da lida diária através dos escambos.  Segundo Thomas Hobbes, a vida do homem em sociedade em estado natural, onde os homens viviam sem regras e buscavam apenas a viver em sobrevivência, sendo o homem um perigo para o próprio homem, em função da evolução e desenvolvimento do homem em sociedade, deram início as lutas do homem contra o homem, de vez o homem viviam em sociedade de forma de estado de natureza, ou seja, não existiam   normas.    Segundo Thomas Hobbes, homem por natureza é egoísta. Defendeu a teoria do surgimento do Estado como regulador do homem em sociedade, para que o homem vivesse em harmonia.   Em virtude da falta do Estado para normatizar e regulador a vida do homem em sociedade surgiram grandes conflitos sociais entre os homens, de vez a evolução e desenvolvimento do homem em sociedade evolui proporcionalmente os problemas e conflitos sociais e com suas mutações constantes.  No entanto, surgiram outros defensores da teoria da criação do Estado o John Locke acreditava que o homem era uma criatura naturalmente “racional e social”, com inclinação para o bem e um forte senso de amor ao próximo e empatia pela dor alheia. ... O homem natural de Locke jamais se sujeitaria ao contrato social, “Estado como coordenador e regulador do homem em sociedade” já que as liberdades individuais do homem natural não seriam abandonadas.  No entanto para Jean-Jacques Rousseau, o princípio fundamental de toda a obra de Rousseau, pelo qual ela é definida até os dias atuais, é que o homem é bom por natureza, mas está submetido à influência corruptora da sociedade.  Na obra Leviatã Thomas Hobbes afirma que todos os homens são iguais em estado da natureza, capazes de fazerem as piores atrocidades possíveis uns com os outros, para poderem sobreviverem, vivendo um estado de guerra.  Por isso a necessidade da criação do Estado, através de um contrato social de renúncia de parte de sua liberdade e passando a respeitar esse contrato e a busca da melhor convivência entre os homens.  Thomas Hobbes defende o poder da monarquia, dando pleno poder absoluto, sendo o principal objetivo a preservação da vida do homem em sociedade.  Nesse período não existiam empresas privadas, as empresas que existiam eram empresas estatal e as pessoas apenas faziam partes e recebiam pequenos rendimentos dessas empresas estatais. A partir daí a evolução do homem em sociedade tornou-se constante e complexa, em virtude da necessidade básicas e de necessidade de normas e regras para coordenar o homem no convívio social.  No entanto com a criação da primeira Constituição do Brasil em, outorgada em 25 de março de 1824 e revogada em 24 de fevereiro de 1891.  A nova Constituição Federal promulgada em 05 de outubro de 1988.    No entanto a vida do homem em sociedade nos dias atuais em constantes disputas pela sobrevivência, moradia, alimentação, saúde, segurança pública.  O homem é tendente a ser mau, invejoso, ambicioso.  Os excessos de dinheiro, bens e das necessidades básicas do homem, faz um acumulo de riqueza e o homem não se conforma com o que já possui e sempre vai querer ter mais dinheiro, bens materiais, fazendo assim um domínio sobre os homens.  A inveja entre os homens, a disputa entre si atualmente está mais acirrada e constante.  Os problemas sócios econômicos, o crescente aumento da população, desemprego, déficit moradia, pobreza, mortalidade infantil, prostituição, assaltos, criminalidade, concorrência de mercado. Tudo isso começou no início das civilizações. Os meios de comunicações, as redes sociais, as telenovelas, telejornais, a globalização socioeconômica universal.  As lutas são constantes e acirradas.  Existe umas complexidades de lutas do em sociedade. Lutas em disputas de mercados pelas empresas no mercado interno no País, mercado local, mercado regional. Lutas das empresas com o governo federal e estadual por cargas tributárias mais baixas. Lutas de entidades de classes em defesas de seus associados contra os entes federativos. Lutas de entidades de classes patronais contra entidades de classes empregados. Lutas pelas disputas de mercado de trabalho entre profissionais liberais. Lutas de ente federativos, município, estado e união e distrito federal em defesas individuais de distribuição de tributos.   A luta do homem pela a sobrevivência é até entendida e compreendida e de certa forma muito natural, quando é feita de forma justa, coerente e saudável.  Quando essa luta se torna incoerente e irracional, ceifando os direitos de terceiros e de risco a vida humana, se torna uma luta irresponsável e inocente e inaceitável a qualquer cidadão. Tornando fatores multiplicadores e incentivadores dos problemas sociais universais, de vez são presentes em todas as nações. Infelizmente em virtude dos fatos, o homem perdeu o bom senso e o temor a Deus.  Os caráteres das pessoas ficaram em segundo plano. A única salvação do homem nessa vida, vista aos olhos do homem é a entrega de sua vida ao seu verdadeiro dono "DEUS". Ele sim poderá transformar o homem em todos os sentidos da vida. Essa transformação iniciará da aceitação individual, pessoal, natural e espontânea no processo de purificação da alma e do Espírito, rumo a volta a eternidade com Deus. O homem veio do pó e nasceu do sopro de Deus em suas narinas que é o Espírito Santo de Deus, sendo a volta ao Pai a eternidade seu destino final. Esse é o verdadeiro sentido da vida. Tudo o que acontece de desagradável em nossas vidas, nós somos os únicos responsáveis, de vez Deus nos deu o livre arbítrio de nossas vidas. No entanto o homem é o escravo do seu pecado. O homem deve obedecer a Deus, não somente para morar no céu, mas sim deverá obedecer mais para sofrer menos. Esse sofrimento natural, faz parte do processo e do plano de Deus em nossas vidas. Na vida há de tudo, tristezas, alegrias, paz, discórdias, riqueza, pobreza, para que seja cumprida a promessa de Deus em nossas vidas, esse é o processo da purificação do homem em todos sentidos da vida.  Enfim, em nossas vidas sempre haverá lutas. As lutas fazem parte do processo da vitória.  Não acontecendo lutas, não acontecerá vitórias.  Veja bem: Esse entendimento deverá ser compreendido por todas as pessoas, profissionais liberais, advogados, médicos, dentistas, engenheiros civis, sacoleiras, feirantes, agricultores, pedreiros, sapateiros, professores, representantes do povo e por toda a sociedade e por todas as pessoas os gestores de empresas privadas.  Na vida, as lutas e disputas pela sobrevivência das pessoas, das famílias e das empresas, em buscas de seus sonhos e seus objetivos devem serem feitas de forma coerente e conscientes de forma a obtenção de resultados positivos.  Deverá haver autorresponsabilidade no sentido de capacitação de conhecimentos, seja empirismo, conhecimento técnicos, científicos.  Na lutas e disputas pela vida em sociedade, sempre o vencedor será o que estiver maior conhecimento e capacidade de administrar conflitos e o que buscar a sabedoria dada por Deus. Muitas vezes os nossos objetivos não estão dentro dos planos de Deus. É da natureza do homem se defender dos obstáculos e dificuldades, também da natureza dos seres irracionais se defenderem por instintos. Portanto em nossas lutas e conquistas deveremos sempre estarmos preparados para as vitorias e para as derrotas, de vez as derrotas poderão servirem de bases solidas para uma reflexão e um amadurecimento, capacitação para um novo planejamento futuro rumo ao foco desejado, de vez o vencedor sempre será aquele que persiste em seus sonhos e seus objetivos conscientes e preparados para luta. Reflexão de caráter exclusivamente educativo, conhecimento e entendimento da vida do homem em sociedade. Sempre existiu e existirá lutas do homem contra o homem. Que Deus nos permaneça nesse pensamento de passar sempre reflexões de caráter construtivo, motivacional e de caráter espiritual para as pessoas, famílias e empresas.       


          


Artigo de autoria do Antônio Elieu Lima de Sousa, graduado em Ciências Contábeis, graduando em Direito. Especialialista em contabilidade, gestão empresarial, gestão tributária, gestão administrativa e especialista em reestruturação empresarial. Sócio fundador da SETEC - SERVICOS TÉCNICOS & CONTÁBEIS LTDA, Há 35 anos no mercado de contabilidade, dentre as mais renomadas empresas do ramo de contabilidade do Estado do Ceará. Sede própria em Pentecoste e atual no Vale do Curu, Vale do Acaraú, Pentecoste, São Luís do Curu, Paraípaba, Paracuru, São Gonçalo do Amarante, Caucaia, Fortaleza, Maracanaú, Pindoretama, Caridade, Cariré e em outras unidades da Federação. Nesse momento de pandemia e de grandes dificuldades financeiras, dando ênfase na reestruturação empresarial.

Veja o vídeo da Setec:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!