Ceará ganha ferramenta para ajudar na localização de pessoas desaparecidas - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

sábado, 13 de abril de 2019

Ceará ganha ferramenta para ajudar na localização de pessoas desaparecidas


O Comitê de Governança do Pacto por um Ceará Pacífico se reuniu, na manhã desta sexta-feira (12), no Palácio da Abolição, em Fortaleza. Como fruto do encontro, o Estado passa a contar com o Programa de Identificação e Localização de Desaparecidos no Estado do Ceará (PLID-CE) e a integrar o Sistema Nacional de Localização e Identificação de Desaparecidos (Sinalid). A ação é resultado de um convênio firmado entre o Governo do Ceará e o Ministério Público Estadual (MPCE). O Estado conta com uma delegacia especializada por investigar casos de pessoas desaparecidas.

O programa teve como base a ação desenvolvida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro em 2013, que já foi inclusive vencedora de um prêmio Innovare. O sistema vai ser interligado com os demais estados que já possuem o Sinalid, promovendo o cruzamento de dados das pessoas desaparecidas com as informações fornecidas pelos órgãos federais, estaduais e municipais para facilitar esse processo. O governador Camilo Santana enalteceu a importância de se buscar respostas para o desaparecimento de pessoas e as encontrá-las. “Essa é uma parceria interessante com o Ministério Público para a gente fazer um trabalho integrado. A dor de uma pessoa desaparecida para o familiar é muito forte. A estratégia é diminuí-la e garantir que essas pessoas sejam encontradas ou pelo menos que as informações sobre elas possam ser dadas aos seus familiares”, destacou.


O Ceará passou a contar com a primeira delegacia especializada em investigar casos de pessoas desaparecidas, em julho de 2018, com a criação da 12ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). A unidade funciona na Rua Juvenal de Carvalho, 1125, no bairro de Fátima, em Fortaleza. As pessoas procurar a unidade pelos telefones (85) 3257-4807 ou para o número (85) 9111-7498, o WhatsApp do DHPP, para onde podem ser enviadas fotos, áudios e vídeos.O contato também pode ser realizado pelas redes sociais, por meio do perfil @desaparecidosdhppce no Facebook e Instagram. Não é necessário se identificar. O sigilo e anonimato da fonte são garantidos.

O governador aproveitou o encontro para firmar outra parceria, desta vez com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, ao assinar um Memorando de Entendimentos, com o objetivo de prevenir, reduzir e mitigar as consequências humanitárias relacionadas à violência em meio urbano. Além disso, houve também a homologação do Regimento Interno do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira), criado em março último pelos poderes Executivo e Judiciário do Ceará, ao lado do MPCE, para atuar no combate a fraudes e crimes fiscais, com a finalidade de recuperar ativos para os cofres públicos.

Resultados

Comandada pelo governador Camilo Santana e pela coordenadora-executiva do Pacto, a vice-governadora Izolda Cela, o encontro teve também apresentações de programas que estão dentro do Pacto e de seus resultados, como afirma Camilo Santana. “Foi um momento também de apresentar alguns resultados frutos já desse Pacto, mostrar resultados na área da segurança pública, nas ações sociais de prevenção. O Pacto funciona todos os dias, com reuniões, com ações nas áreas críticas, na construção de novas parcerias, no diálogo com a sociedade. Esse aqui é o momento da gente dividir os avanços, reconhecer aquilo que precisa ser corrigido”, avaliou.

Um desses programas desenvolvidos a partir do Pacto por um Ceará Pacífico e que já colhe bons furto é o Tempo de Justiça, que monitora eletronicamente os casos de homicídio com autoria esclarecida, diagnosticando possíveis entraves em cada fase do processo (inquérito, denúncia, instrução e julgamento) para que os casos sejam concluídos (julgados) no prazo médio de um ano.

Comparado a 2015, antes da implantação do programa, o tempo médio de finalização das ações incluídas no Tempo de Justiça em 2017 caiu de 707 dias para 394, o que representa uma redução de 44,2%. Em relação aos fatos ocorridos em 2015, foram iniciadas 293 ações penais nas cinco Varas do Júri de Fortaleza, das quais apenas 14 (4,7%) foram julgadas em 399 dias (meta estabelecida pelo programa). Já em 2017, das 282 ações acompanhadas, 96 foram finalizadas até dezembro de 2018, sendo 50 (17,7%) em até 399 dias.


Esses resultados renderam ao MPCE, parceiro do programa, o prêmio de 1º lugar do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), na categoria “Redução da Criminalidade”. Para o procurador-geral Plácido Rios, esse reconhecimento deve ser estendido às demais instituições que colaboram com o Tempo de Justiça. “Nós extraímos desse pacto a semente da humildade e da cooperação. O Ceará foi primeiro lugar na redução do tempo. Foi uma alegria muito grande, mas deixamos claro que o prêmio não era só do Ministério Público e que estávamos trazendo aquele prêmio para dividir com todos que fazem parte do Pacto”, comemorou.

Menos crimes

O planejamento do pactuado na área da segurança pública vem apresentando quedas consecutivas nos índices de criminalidade. Em março último, o Estado registrou queda de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) em todas as regiões, correspondendo ao 13° mês de redução seguido em Fortaleza e o 12º no Ceará. O acumulado dos três primeiros meses deste ano também registrou queda de 56,6% e é o melhor resultado desde 2009, quando os indicadores criminais começaram a ser computados de forma centralizada pela SSPDS.


O crime de roubos a veículos também apresentou queda de 50% no primeiro trimestre de 2019 comparado ao mesmo período do ano passado, caindo de 2.598 para 1.284. Os furtos reduziram 15% nesses três meses – saindo de 1.050 casos para 893. Mas, além de conseguir evitar essas ações delituosas, o Ceará conseguiu recuperar 88% dos carros e motos roubados ou furtados. Dos 2.177 automóveis, 1.916 foram encontrados pela Polícia. Muitas vezes essas ocorrências são concluídas com prisões e apreensões de armas.

O secretário da Segurança Pública, André Costa, destacou ações integradas entre instituições e com o uso da tecnologia como fatores preponderantes para essas diminuições nos índices. “Fizemos uma parceria com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), que nos foi apresentado um novo conceito sobre a mobilidade do crime e que se nós conseguíssemos fazer um controle sobre essa circulação desses veículos, a gente conseguiria ter êxito. Diante desse conceito traçamos uma estratégia com três pilares. A criação do SPIA (Sistema Policial Indicativo de Abordagem), que detecta a presença de carros clonados, roubados e furtados. O investimento em câmeras de monitoramento em tempo real, saindo de 64 em Fortaleza para mais de 3.300 câmeras em 44 cidades do Ceará. E o reforço do motopatrulhamento e do Raio nas cidades para chegar logo nesses locais dos crimes”, informou André.

Ceará Pacífico

O Pacto por um Ceará Pacífico é um dos principais alicerces do projeto “Os 7 Cearás”, lançado pelo governador Camilo Santana em 2015, sendo um eixo de combate à violência, por meio de ações preventivas com foco nas populações mais vulneráveis da sociedade. Como política pública, o Pacto leva em consideração a compreensão do direito universal à proteção, amparo, defesa e justiça.


Izolda Cela, vice-governadora e coordenadora do programa, destaca que essa atuação conjunta entre todos os poderes e diversas instituições é o que credencia a iniciativa a conseguir seus objetivos. “Esse pacto foi proposto com a intenção de ter essa integração, coordenação e responsabilização, ações necessárias para o enfrentamento da natureza dos desafios. Desde que o Pacto foi instituído nós temos uma ambiência de cooperação e participação. Isso só aumenta nossas chances de sucesso”, comenta.

A reunião contou ainda com a participação de diversos secretário de Estado, do presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Sarto; presidente do TJCE, Washington Araújo; procurador-geral do Estado, Juvêncio Viana; prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio; defensora pública geral, Mariana Lobo; presidente da OAB, Erinaldo Dantas; entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!