Saque de auxílio emergencial gera filas, aglomerações e tumultos em Fortaleza - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

quarta-feira, 8 de abril de 2020

Saque de auxílio emergencial gera filas, aglomerações e tumultos em Fortaleza

Com o comunicado dos depósitos de R$ 600 por conta da Covid-19, aumentou o número de pessoas indo em buscar informações sobre o benefício na manhã desta quarta-feira.

Por Flávia Anjos, G1 CE
Bancos de Fortaleza têm longas filas e aglomerações — Foto: José Leomar/SVM


Agências da Caixa Econômica e casas lotéricas de Fortaleza e Região Metropolitana tiveram um fluxo maior na manhã desta quarta-feira (8). A população foi às agências em busca do benefício de R$ 600 destinado aos trabalhadores informais, autônomos, intermitentes, microempreendedores individuais (MEI) e beneficiários do Bolsa Família.

Filas sem de distância entre as pessoas foram observadas tanto em Fortaleza e Caucaia,as cidades mais afetadas pela doença no Ceará. A capital cearense tem a maior incidência da Covid-19 no país, conforme o Ministério da Saúde, o que deve redobrar os cuidados da população.
Pessoas com acesso a smartphone podem receber o benefício por aplicativo — Foto: José Leomar/SVM


As aglomerações nos bancos são motivo de preocupação das autoridades nacional e estaduais quando o auxílio emergencial foi anunciado. Na terça-feira (7), o governador Camilo Santana chegou a mencionar que a ida das pessoas aos bancos fez parte da pauta dele com os governadores do Nordeste, e um novo ofício foi encaminhado à Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), solicitando organização, pelas instituições financeiras, da fila formada pelos clientes fora das agências.

Sem acesso à internet, a maioria das pessoas recorre às agências e casas lotéricas para saberem como ter acesso aos R$ 600. O autônomo, Martins Freitas Sobrinho, 61 anos, por exemplo, só não engrossou as filas porque um amigo o ajudou. Ele sobrevive desde 2003 com as vendas de acessórios de smartphones e outros artigos de tecnologia pelas ruas de Fortaleza. Diante do isolamento social, ele teve seu trabalho interrompido, sem ter como manter o sustento de sua casa.

Martins conta que para buscar o auxílio emergencial, precisou de um amigo próximo, que tinha um celular de "melhor qualidade", e assim ele efetuou o cadastro. No entanto, não tem a certeza se receberá o benefício, pois durante o processo, as mensagens que apareciam na tela do aplicativo era para que ele aguardasse, pois ainda estava em análise.

"É muito confuso, eu me cadastrei, mas não tenho certeza se vou receber, não tenho nenhuma garantia disso. Além disso, demorou muito. Hoje, liguei novamente para o meu amigo, ele disse que eu tinha que esperar, mas como vou saber se vou receber ou não? ", lamenta.

Agilidade


Já Ryzia Beatriz, 21 anos, não perdeu tempo quando soube do auxílio e se cadastrou tranquilamente pelo seu próprio celular. "No dia seis, eu vi no site da minha cidade que no dia 7 o aplicativo já estaria disponível. No outro dia, por volta das 7h30, peguei o celular, baixei o aplicativo e deu tudo certo", conta.

Com o salão de beleza que tem em Beberibe parado, ela ficou atenta a qualquer tipo de ajuda disponível pelo Governo Federal para diminuir o prejuízo acumulado ao longo das últimas três semanas em que vigora o decreto estadual, o qual determina isolamento social da população e o fechamento de alguns negócios, como o de Beatriz.

Ainda no mesmo dia que conseguiu fazer o cadastro, ela tentou baixar o aplicativo para outras pessoas de sua casa, mas já encontrou mais dificuldades para realizar o processo, com uma lentidão no aplicativo. Além de Beatriz, o pai também é autônomo, e a família, agora, depende do salário da mãe dela, que é professora do município.

Mesmo com a lentidão, ela conseguiu fazer o cadastro do pai. Agora, os dois estão com os dados em análise para saber se serão aprovados com base nos critérios estabelecidos pelo programa.

A promessa do Governo Federal é de que estas análises sejam feitas em até dois dias, e como o auxílio foi lançado ontem, ainda não é possível saber se o prazo está sendo cumprido.

Coronavírus: infográfico mostra principais sintomas da doença — Foto: Foto: Infografia/G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!