Prefeito acusado de estupros no Ceará deixa presídio por risco de coronavírus - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Prefeito acusado de estupros no Ceará deixa presídio por risco de coronavírus

Prefeito de Uruburetama, que também é médico, estava preso desde julho de 2019. Ele é acusado de estuprar pacientes durante atendimento em consultório.

Por G1 CE
Prefeito de Uruburetama, que também é médico, deixa presídio ao lado da mulher; ele é acusado de estuprar pacientes durante atendimento — Foto: Kid Júnior/SVM


A Justiça do Ceará concedeu prisão domiciliar ao médico e ex-prefeito de Uruburetama, José Hilson de Paiva, 71, acusado de estuprar pacientes em atendimento. Nesta quarta-feira (1º) ela deixou a unidade prisional onde estava desde julho de 2019. Conforme decisões proferidas nas Varas da Comarca de Cruz e na Comarca de Uruburetama, José Hilson Paiva vai para prisão domiciliar com monitoramento por tornozeleira eletrônica.

Ele é acusado de cometer crimes sexuais durante anos nas cidades de Cruz e Uruburetama, interior do Ceará. Conforme os autos, os assédios aconteciam dentro do consultório do médico.

Há duas semanas, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) emitiu recomendação sobre a reavaliação de prisões provisórios, especialmente quanto a grupos mais vulneráveis, devido à pandemia do novo coronavírus. O acusado integra o grupo de risco do novo coronavírus devido à idade dele e por ser portador de insuficiência coronária. O G1 apurou que decisão teve com base esta recomendação.
Médico e prefeito afastado de Uruburetama pediu desculpas às mulheres que o denunciam por estupro — Foto: TV Globo/Reprodução


Em nota à imprensa, os advogados de defesa do acusado, representados por Leandro Vasques, informaram que "os pedidos consideraram, principalmente, o contexto de pandemia causado pelo novo coronavírus". "Ademais, o delicado estado de saúde do Sr José Hilson, já demonstrado em outras ocasiões, o torna especialmente vulnerável a essa infecção viral", afirma a defesa.

Ainda de acordo com a defesa de Paiva, "as aludidas decisões e o conteúdo dos autos processuais estão resguardados pelo segredo de Justiça, de modo que a defesa se limita a explicar a razão pela qual o sr José Hilson de Paiva deixou a unidade prisional em que se encontrava e passou a cumprir prisão domiciliar com monitoramento eletrônico.

Prisão


Médico e prefeito de Uruburetama filmava pacientes enquanto cometia abusos sexuais — Foto: Reprodução/TVM


José Hilson foi preso no dia 19 de julho de 2019. A Justiça aceitou o pedido do Ministério Público do Ceará (MPCE) que alegou que o então prefeito de Uruburetama poderia atrapalhar as investigações se permanecesse solto.

Consta nos autos que o médico registrava as cenas dos abusos cometidos dentro do próprio consultório. Quando preso, Paiva teria dito aos policiais que cometer o crime e ainda filmar a ação tinha virado "uma espécie de fetiche, e ele não conseguiu mais parar".

A investigação aponta que médico e ex-prefeito de Uruburetama cometia estupro desde a década de 1980. Há mais de 60 vídeos com cenas dos abusos praticados por ele contra, pelo menos, 23 mulheres diferentes.

Por diversas vezes, a defesa de Paiva já havia tentado a liberdade dele. Em fevereiro deste ano, a 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) negou, por unanimidade, um pedido de liberdade impetrado sob alegação de ausência de contemporaneidade entre os fatos investigados no processo e o momento da decretação da prisão preventiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!