Assassinato de "chefão" provoca a ira de facções e em uma semana 87 pessoas são mortas na Grande Fortaleza - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Assassinato de "chefão" provoca a ira de facções e em uma semana 87 pessoas são mortas na Grande Fortaleza


Os fuzilamentos acontecem nos bairros onde as facções duelam pelo domínio de território

A morte de Samuel Sousa Salomão, 31 anos, tido como um dos líderes da facção Guardiões do Estado (GDE), na Grande Messejana, zona sul de Fortaleza, causou um impacto contundente e desastroso para a Segurança Pública do Ceará no mês de abril. Com o assassinato dele, foi reaberta a guerra das facções, e o resultado catastrófico: em apenas uma semana, 87 pessoas foram executadas sumariamente na Grande Fortaleza.

O assassinato de Salomão aconteceu na tarde do último dia 22, tendo como consequência um “salve geral”, em que outros chefes da organização criminosa ordenaram aos seus integrantes eliminar os rivais do Comando Vermelho (CV). A partir daí, começou a matança em, praticamente, recantos da Grande Fortaleza.

Em bairros onde as facções dominam, os confrontos entre criminosos se acentuaram e as mortas aconteceram de forma acelerada, deixando para trás um rastro de sangue nas ruas e, principalmente, dentro de pequenas comunidades e nas grandes favelas da Grande Fortaleza.

Veja a seguir, uma cronologia dos principais fatos dessa ofensiva das facções na Capital e Região Metropolitana:

Dia 22/4 – Samuel Souza Salomão, tido como um dos “cabeças” da facção GDE em Fortaleza, é morto a tiros dentro de uma loja de acessórios automotivos na Rua José Hipólito, em Messejana. Logo depois, surgiu nas redes sociais um “salve geral” da GDE determinando que todos da organização criminosa partisse para matar os inimigos do CV.

Dia 22/4 – Nesta mesma noite, após a morte de Salomão, em Messejana,a Polícia registrou outros 13 assassinatos na Grande Fortaleza, em bairros como Praia de Iracema, Vila Peri, Granja Lisboa, Praia do Futuro, Henrique Jorge, Jangurussu, José Walter; além dos Municípios de Caucaia, Horizonte (2), Cascavel, Maracanaú e Itaitinga.

Dia 23/4 – Foram registrados 17 homicídios na Grande Fortaleza. Na Capital, os crimes ocorreram depois de confrontos armados em bairros como Serrinha, Parque Araxá, Meireles, Bom Jardim, Praia do Futuro e Vila Peri; e nos municípios metropolitanos de Cascavel (2), Eusébio (2), Maracanaú (2), Horizonte, Maranguape e São Gonçalo do Amarante.

Dia 24/4 – Neste dia, a Polícia registrou mais 10 assassinatos na Grande Fortaleza, nos bairros Parque Santa Maria, Dom Lustosa, Praia do Futuro II, Edson Queiroz, Ancuri e Siqueira II; além dos Municípios de Maranguape, Pacatuba, Caucaia e Pacajus.

Dia 25/4 – Mais 13 pessoas foram mortas na Grande Fortaleza. Na Capital, nos bairros Jangurussu (2 crimes), Carlito Pamplona, Bonsucesso, Jóquei Clube, Presidente Vargas e Presidente Kennedy; além dos Municípios de Eusébio (3), Caucaia (2) e Maracanaú.

Dia 26/04 – De acordo com os registros da Polícia, foram mais 11 assassinatos na Grande Fortaleza, nos bairros Vicente Pinzón, Bela Vista, Presidente Vargas, Presidente Kennedy, Demócrito Rocha e Conjunto Palmeiras; além de um triplo homicídio na localidade de Mangueiral, em Pindoretama; e mais duas mortes em Caucaia e no Eusébio.

Dia 27/4 – Foram sete homicídios na Grande Fortaleza, com crimes registrados nos bairros Bom Jardim (3), De Lourdes, Conjunto Ceará, e nos Municípios de Itaitinga (Barrocão) e Caucaia (Jandaiguaba). No Bom Jardim, bandidos de uma facção invadiram a comunidade 7 de Setembro, expulsaram as famílias de suas casas e ainda mataram dois moradores que se recusaram a sair de casa. Os mortos foram identificados como sendo o aposentado João Gomes dos Santos, 56 anos (paraplégico); e a dona de casa Maria Rosângela Pereira de Oliveira, 42 anos.

Dia 28/4 – Ao menos, 12 pessoas foram mortas neste dia, de acordo com os registros da Polícia. Em Fortaleza, ocorreram crimes nos bairros Jangurussu (duplo), Joaquim Távora, Granja Portugal; além de assassinatos nos municípios metropolitanos de Maracanaú (2), Cascavel (duplo), Pacajus, Pacatuba, Aquiraz e Caucaia. Entre os 12 mortos estão duas mulheres, ambas assassinadas a tiros. Uma no bairro Jangurussu, na Capital; e a outra em Pacatuba (na Vila das Flores).

Dia 29/4 – Apontado como o dia de menor registro de mortes violentas na Grande Fortaleza desde o começo da matança, no dia 22, pois foram registrados apenas três homicídios, sendo dois na Capital, nos bairros Serviluz e Vicente Pinzón; e outro em Pacatuba (Vila das Flores).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!