Jiboia é encontrada em telhado de casa no Crato - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

sábado, 8 de fevereiro de 2020

Jiboia é encontrada em telhado de casa no Crato

Uma jiboia de cerca de dois metros foi encontrada no telhado de uma casa, no bairro Zacarias Gonçalves, em Crato.
Uma jiboia de aproximadamente dois metros foi encontrada no telhado de uma casa, no bairro Zacarias Gonçalves, em Crato, na manhã deste sábado (08). A serpente foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros. Segundo os moradores do imóvel, esta foi a segunda vez que este mesmo animal apareceu na residência, nesta semana. Outras duas cobras, no mesmo município, também foram capturadas hoje. 

Conforme o gerente comercial Wagner Macêdo, cunhado do dono do imóvel, e que estava no momento em que a cobra foi encontrada, todos se assustaram ao ver o animal entre os telhados. “Meu cunhado cria um hamster. Na segunda-feira, ele foi trocar a comida dele, e a jiboia estava em cima do muro. A gente pegou uma vassoura e empurrou para cair fora de casa. Hoje, ela deve ter voltado”, acredita. 

Apesar do medo, os moradores acionaram o Corpo de Bombeiros, que rapidamente estiveram no local. A Policia Ambiental também apareceu na casa e prestou assistência à equipe.

Esta não é a primeira vez que serpentes são encontradas no bairro Zacarias Gonçalves. “Já vimos aqui na rua até cobra coral atravessando a rua”, garante Wagner. Apesar de não ser venenosa, o gerente comercial acredita que o encontro com o réptil é perigoso. “Elas estão descendo para as casas e são de todas as espécies”, enfatiza. 

Comum

O biólogo Charles Sousa ressalta jiboias é uma das serpentes mais comuns na região do Cariri, mas não são peçonhentas. “Não produzem e muito menos são capazes de inocular ‘veneno’”, explica. Considerada uma cobra de grande porte, a espécie pode atingir frequentemente 2,5m de comprimento. “Possui hábitos tanto diurno quanto noturno, e costumam se alimentar de uma grande variedade de presas, como aves, lagartos e pequenos mamíferos”, completa. O período de reprodução varia de outubro a dezembro, sendo encontrado indivíduos jovens entre os meses de janeiro a abril. 

O major Mendes Júnior, do Corpo de Bombeiros, explica que neste período chuvoso é muito comum encontrar serpentes. “A terra fica encharcada e os animais saem das tocas para se refugiar”, justifica. Neste sábado, outras duas ocorrências semelhantes foram registradas, em Crato, nos bairros Mirandão e Palmeiral. 

Orientação

O agente orienta que, ao se deparar com uma serpente, a população não deve tentar capturar, mas chamar o Corpo de Bombeiros imediatamente. “Afastar curiosos, principalmente crianças”, enfatiza. Ele ressalta que a corporação possui equipamentos apropriados para a captura de diversos animais, assim como treinamento apropriado. 

O biólogo também reforça que é preciso ter cuidado ao encontrar esses animais. “Muitas vezes, as pessoas não conhecem e pensam que todos apresentam perigo ao humano, mas nem todos oferecem risco. Manter distância e não se aproximar do animal sem conhecê-lo já evita acidente”, completa Charles.

Por outro lado, em caso de ataques de serpente, Major Mendes pede, se possível, que a vítima ou alguém próximo tente tirar uma foto da cobra ou localizá-la para que a equipe médica identifique a espécie e, consequentemente, o soro antiofídico que será aplicado.

Após capturadas, as serpentes são levadas ao quartel do Corpo de Bombeiros, que aciona a Polícia Ambiental. Os policiais são responsáveis por encontrar um ambiente natural da espécie, onde é levada e solta.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!