Cesta básica de Fortaleza é a mais cara do Nordeste, aponta pesquisa - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Cesta básica de Fortaleza é a mais cara do Nordeste, aponta pesquisa

Muitas vezes visto como 'vilão', o tomate foi o produto que mais apresentou recuou de preço em agosto: 31,78% - Foto: Agência Diário
A cesta básica em Fortaleza foi apontada, no último mês de agosto, como sendo a mais cara entre todas as capitais do Nordeste, segundo pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) e divulgada nesta quinta-feira (5).

Ao longo de agosto, o conjunto de itens básicos da alimentação custou, em média, R$ 402,86 em Fortaleza, uma redução de 6,96% ante julho deste ano, quando o valor estimado era de R$432,96. Segundo o Dieese, este é o segundo mês consecutivo de retração, impulsionado pelo recuo de sete dos 12 itens que compõe a cesta. Apresentaram recuo os seguintes alimentos: tomate (31,78%), carne (2,86%), açúcar (1,76%), café (1,69%), feijão (1,18%) e o arroz (0,86%).

No cenário nacional, porém, a cesta básica da capital cearense segue como a nona mais cara do Brasil, ficando atrás apenas de São Paulo (R$ 481,44 ), Porto Alegre (R$ 469,17), Florianópolis (R$ 464,24), Rio de Janeiro ( R$ 462,24 ), Vitória (R$ 441,50), Curitiba ( R$ 441,28), Brasília (R$ 433,45) e Campo Grande (R$ 408,11).

Confira o preço médio dos itens em Fortaleza:
  1. Carne R$ 24,06
  2. Leite R$ 3,95
  3. Feijão R$ 4,83
  4. Arroz R$ 3,21
  5. Farinha R$ 3,04
  6. Tomate R$ 4,98
  7. Pão francês R$ 11,80
  8. Café em pó R$ 17,45
  9. Banana R$ 6,33
  10. Açúcar R$ 2,23
  11. Óleo R$ 3,77
  12. Manteiga R$ 46,28
Para Reginaldo Aguiar, superintendente regional do Dieese, apesar da diminuição do custo em agosto, a cesta básica de Fortaleza continua sendo elevada para a realidade de seus habitantes. "O Ceará é um dos locais onde a renda média é mais baixa. Assim, mesmo que você tenha preços mais estabilizados, eles se estabilizaram em um patamar muito elevado. O valor ainda é significativamente mais caro do que em outras capitais que têm um porte parecido, como Salvador e Recife", aponta.

O tempo médio que um trabalhador teve que destinar para adquirir todos os itens da cesta foi de 88 horas e 88 minutos. Para aqueles que ganham um salário mínimo, o valor da cesta corresponde a 43,87% de sua remuneração.

Fonte: G1 CE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!