Justiça decreta prisão do casal que matou criança. Juíza diz que crime foi cruel - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

sábado, 24 de agosto de 2019

Justiça decreta prisão do casal que matou criança. Juíza diz que crime foi cruel

Ana Cristina (a mãe) e Franciel Macedo (padrasto) tentaram despistar a Polícia alegando um rapto
A Justiça decretou, nesta sexta-feira (23), a prisão preventiva do casal que confessou ter assassinado da criança Maria Esther Farias Campelo, de apenas um ano e 10 meses, na manhã da última terça-feira (20). A mãe e o padrasto da criança espancaram e golpearam a menina e, em seguida, ocultaram o corpo em um terreno baldio no Município de Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). A mãe chegou a registrar um Boletim de Ocorrência (B.O.) na Polícia Civil, afirmando que Esther havia sido raptada.

O crime ocorreu na residência do casal, no bairro Canindezinho, em Fortaleza. Após o crime, o casal saiu da residência em uma bicicleta levando o corpo da criança. Ana Cristina Farias Campelo e o companheiro, Franciel Lopes de Macedo, em seguida, compareceram ao 29º DP (Pajuçara/Maracanaú), onde prestaram queixa afirmando que foram abordados por um casal em um carro preto e, sob a mira de uma arma de fogo, obrigados a entregar a criança.

A Polícia passou a investigar o ocaso e ouvir os familiares, descobrindo que a história era na verdade uma farsa para encobrir o infanticídio. Depois de várias contradições em seus depoimentos, o casal decidiu confessar o crime. A mãe alegou que a criança chorava o tempo todo e não suportava mais. A família revelou que a menina era doente e vivia sendo maltratada pela mãe e pelo padrasto.

Crueldade

A prisão preventiva do casal foi decretada nesta sexta-feira pela juíza de Direito, Flávia Setúbal, titular da Vara de Audiências de Custódia de Fortaleza. Segundo ela, “a gravidade em concreto da conduta atribuída aos acusados é bastante elevada, diante da crueldade particular em que executaram o crime em apuração. A existência do delito e os indícios de autoria decorrem das circunstâncias da prisão”, assinalou a magistrada.

Franciel Lopes permanece na carceragem da Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), em Fortaleza. Ana Cristina Campelo foi transferida para o Presídio Feminino, em Aquiraz.

Fonte: CN7

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!