quarta-feira, 24 de maio de 2017

A vida de pacientes e de alguns funcionários da UPA de Pentecoste está em risco

(Foto Ilustrativa/ Aparelho de Raio X)
Em pequenas doses, a exposição à radiação não oferece riscos à saúde: o corpo tem tempo suficiente para substituir as células que eventualmente tenham sido alteradas ou destruídas. Em doses extremas, é fatal. O câncer é um dos problemas mais associados à radiação. Isso porque a radioatividade pode alterar o "relógio biológico" das células, fazendo com que cresçam desordenadamente, formando tumores.

Aparelho com problema

De acordo com denúncias recebidas através do mensageiro Whatsapp, o aparelho de raio X, que opera na Unidade de Pronto Atendimento de Pentecoste, está com um problema grave há cerca de duas semanas. 

O dispositivo de segurança, responsável por delimitar o campo em que será radiografado não está operando normalmente, o que impossibilita limitar a área do corpo do paciente que será atingida pela radiação. Mesmo com defeito, o aparelho continua sendo usado nas pessoas que necessitam de atendimento.

Segundo a informação, ao utilizar o equipamento, várias partes do corpo do enfermo são atingidas pela radiação, quando deveria ser aplicada somente na região analisada pelo médico.

Conforme estabelecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o equipamento deveria está interditado, pois o seu funcionamento de maneira inadequada, pode provocar diversos danos à saúde, principalmente em crianças.

Na denúncia, é chamada a atenção para ausência de documentos técnicos que garantam a segurança dos profissionais.

Mais irregularidades

De acordo com a Lei nº 7.394 de 29 de Outubro de 1985, operadores de Raios X só podem trabalhar até 24 horas semanais. Sendo permitido um plantão de 24 horas por semana, devido a existência de agentes químicos e físicos prejudiciais à saúde do funcionário.

Ainda de acordo com mais denúncias, ao terminar a gestão, a ex-prefeita Ivoneide Moura, deixou sete profissionais na UPA, número necessário de técnicos na área de radiologia. Sendo dois concursados e cinco contratados diretamente. Por dia, um profissional fazia plantão, trabalhando então uma vez por semana.

No início da nova gestão, dois foram demitidos. Restando apenas cinco especialistas para dividir a carga horária. O áudio referente a denúncia informa que, sem direitos a férias e temendo a perca do emprego, alguns dos técnicos trabalham, ser receber, mais do que é permitido. Várias horas extras são feitas, uns realizam o dobro do que é estabelecido pela lei. Vale ressaltar que, o trabalho extra não é remunerado pela prefeitura municipal de Pentecoste.

Por: André Barros

Compartilhe com seus amigos:

Postar um comentário

Matérias produzidas por estagiários

 
Subir
Copyright © 2015 NOTÍCIAS DE PENTECOSTE. Designed by Esgwebmaster