ELIEU LIMA: “RETROSPECTIVA 2020, NO ÂMBITO DA ECONÔMIA, CRISE NA SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA, GESTÃO PÚBLICA, ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL E PROJEÇÕES PARA 2021” - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

ELIEU LIMA: “RETROSPECTIVA 2020, NO ÂMBITO DA ECONÔMIA, CRISE NA SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA, GESTÃO PÚBLICA, ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL E PROJEÇÕES PARA 2021”



Na bíblia em Mateus 8:23-27: “Entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram. De repente, uma violenta tempestade abateu-se sobre o mar, de forma que as ondas inundaram o barco. Jesus também dormia. Os discípulos foram acordá-lo. Chamando: “Senhor, salva-nos! Vamos morrer” Ele perguntou: “Por que vocês estão com tanto medo, homens de pequena fé? ” Então ele se levantou e repreendeu os ventos e o mar, e fez-se completa bonança. Os homens ficaram perplexos e perguntaram: “Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?” Inicialmente vamos abordar o tema sobre estratificação social, dando o conceito para dar um melhor entendimento: Estratificação social é um conceito sociológico utilizado para classificar os indivíduos ou grupos a partir da análise das condições socioeconômicas. A estratificação social serve também como base para entender a configuração da sociedade em hierarquias e na formação das desigualdades sociais, também ser para indicar as diferenças, de desigualdades entre pessoas de uma determinada sociedade. Ela indica a existência de grupos de pessoas que ocupam posições diferentes. Por exemplo, em nossa sociedade valorizamos muito mais a profissão de médico do que a profissão de pedreiro. Atualmente, esses estratos são classificados basicamente de três maneiras, as quais indicam a posição de cada indivíduo conforme suas condições socioeconômicas (renda e bens materiais) e que determinam as desigualdades sociais: classe alta, classe média e classe baixa. A diferença entre classes sociais e a estratificação social é que a classe social é uma divisão predominantemente econômica, a estratificação social não. Ela abrange aspectos culturais, subjetivos, que geram sentimento de pertencimento a posições sociais, que, por sua vez, são elencadas conforme o que é mais valorizado nessa sociedade. No entanto partimos desse entendimento em que a sociedade é dividida em camadas sociais onde quem aparentemente se dar melhor na vida é a classe alta, tipo A, que tem maior poder de capital, poder econômico e poder político. Onde se tornou comum entre as pessoas o conceito de que, quem detém o poder e o dinheiro é quem manda, conceito esse que vem sendo passado pelas pessoas de gerações para gerações, onde a exploração econômica de quem detém o capital explora o mais pobre, fazendo assim um maior enriquecimento constante e o pobre cada vez mais pobre. O fato o homem que faz parte da classe “A”, tem o dinheiro e o poder, tem o entendimento errôneo de que o dinheiro e o acumulo de bens materiais lhes dão estabilidade de vida, mas na verdade não dar nenhuma estabilidade na vida. De vez numa sociedade complexa em que vivemos, onde vivem uma sociedade rica e uma outra sociedade à margem da sociedade, com favelas, pobreza absoluta, muitas vezes separadas apenas pelo uma avenida ou rua. O ano de 2020, com a crise na saúde com a pandemia do covid-19, está sendo o ano mais marcante e vai ficar na história de toda humanidade. Onde pela primeira vez na vida, a vida das pessoas independentemente de cor, raça, nível intelectual, nível social e financeiro se tornou em evidência e prioridade, onde foi e está sendo exposta a esse vírus, todas as pessoas independentemente de situação financeira, onde quem mais está sendo exposta as pessoas de menor poder aquisitivo, cuja exposição é proporcional a sua condição financeira, conhecimentos, autoconsciência, autorresponsabilidade com a própria vida e com a vida de terceiros, de vez a falta de alimento na mesa, causada pelos transtornos socioeconômicos, desempregos, fome, deixa mais vulneráveis as pessoas mais carentes e necessitadas, fazendo assim uma descompensação psicológica e uma sensação de incapacidade e vulnerabilidade mais forte em virtude da situação financeira, muitas vezes afetando a sua fé, em achar que Deus os abandonou. A crise da saúde afetou diretamente e sequencial, tipo dominó, na educação, segurança pública, gestão pública e a gestão familiar. Na área de educação foram e ainda estão sendo prejudicados os alunos, escolas, desempregos de profissionais limpeza, área administrativas, parte dos professores com redução de salários gerando um transtorno enorme tendo como resultado negativo os problemas familiares de dificuldades de superação da crise entre os casais e família, gerando separações de casais e de famílias, também neste ano houve um aumento enorme no número de morte por feminicídios, 1,9%, totalizando 648 mortes em apenas 6 meses desse ano, tudo isso envolve a crise da saúde, em sequência problemas pessoais, financeiros e desequilíbrios psicológicos e/ou neurológicos. Vale a pena ressaltar que neste ano de 2020, onde as pessoas mais afetadas, são as pessoas de pequena aproximação de Deus. Os casais e as famílias com a maior aproximação de Deus, vem superando essa crise com maior consciência e autorresponsabilidade e entendimento de que após a tempestade, vem a bonança e a concepção que Deus está no controle de tudo e inclusive de nossas vidas. O exercício de atividades consideradas legais por eles e a concepção de que são vítimas de uma sociedade marginalizada, por falta de compromisso do poderes públicos hierárquicos, união, por conseguinte estados e municípios, com falta de investimentos sustentável, oportunidades e de igualdade para todos, onde as pessoas marginalizadas e vítimas do sistema econômico, se sentem amparadas erroneamente em suas consciências que o exercício ilegal dos meios de subsistência familiar, com o aumento da criminalidade, assaltos a pessoas comuns e as empresas, arrombamentos de bancos. Vale a pena ressaltar, que o balanceamento da satisfação pessoal, a redução da criminalidade, redução da pobreza, melhor qualidade de vida, mobilidade social vertical crescente, são resultados de uma sociedade capitalista descompromissada com o bem comum coletivo. O fato é que a falta de alimento na mesa, a incerteza do amanhã, a falta de saúde, tudo isso gera um transtorno entre as pessoas gerando insatisfação, e a vulnerabilidade as patologias psicológicas e neurológicas, por conseguinte uma desorganização na vida das pessoas em todos os aspectos. O equilíbrio financeiro, a garantia de subsistência familiar de princípio é necessário e justa para todos, mas o fato é que o exagero no acumulo dos bens, dinheiro e pelo o poder econômico e político, muitas vezes escraviza o homem, onde o dinheiro que coordena e manda na vida do homem. Sendo assim o homem escravizando o homem pelo o poder de domínio, esse é o modelo de uma sociedade capitalista. Dessa forma, o homem capitalista ou de grandes posses, muitos deles vivem convivendo com a incerteza financeira e medo do amanhã são acometidos da doença da ansiedade e da depressão, muitas vezes tentam suprir essas carências em festas exageradas com consumo excessivo de álcool e/ou drogas ilícitas, prostituição e vem a colocar suas empresas em riscos de falência total. Tornando assim um ciclo de vida, que vimos a cada dia e veremos no futuro acontecer com as pessoas e poderá acontecer conosco se não tivermos esse entendimento que o dinheiro em excesso e seu mal uso poderá ser muito prejudicial ao homem com a eminência de falência familiar. O fato é que em tudo que aparentemente seja muito ruim, sempre tem um lado bom. Pela fé em Deus, entendemos que Deus faz tudo com perfeição e com um sentido lógico. O que podemos ter observado é que as pessoas e empresas neste ano de 2020, se mostraram mais solidárias com os problemas sociais com os mais carentes e mais prejudicados diante da crise. Onde a vida tem sido colocada em maior evidência. Onde as pessoas tiveram o tempo necessário dado por Deus na reflexão e consciência maior que a nossa vida é uma passagem muito rápida e o acumulo exagerado do dinheiro e dos bens torna-se nocivo ao homem tirando muitas vezes a saúde física, mental, espiritual e a paz. Na área financeira todas as pessoas e empresas tiveram a experiência e a necessidade de se adequar economicamente em superávit, para a superação da crise financeira, onde nunca mais as pessoas e empresas vão serem na sua maioria pegas de surpresas como aconteceu ultimamente. Entendemos que a União, Estados e Municípios, a partir desde episódio na saúde, deverão terem um maior compromisso com a vida das pessoas. No mundo globalizado, onde os meios de comunicações, redes sociais serve de orientação, esclarecimentos e de informações, de certa forma, são indicadores e formadores de opiniões onde os gestores públicos deverão reavaliar suas ações e o compromissos com a comunidade com maior zelo nas áreas de saúde, educação e segurança e na aplicação das verbas públicas com maior zelo e de interesse coletivo. Os resultados nas urnas no Brasil inteiro denotaram o que pensa a sociedade, uma insatisfação na sua maioria com seus gestores públicos. Onde os gestores reeleitos foram os que mais tiveram compromissos com a sociedade, foi uma verdadeira peneira fina nesse sentido. O que se pode observar é que a partir de agora as profissões até antes praticadas regularmente convencionalmente, estão sendo adaptadas pelas pessoas de acordo com a situação e necessidade, onde quem vai se sobressair melhor quem for mais criativo em sobressair da crise e aguardar o mercado se ajustar lentamente em suas qualificações. O maior causador dos transtornos financeiros das pessoas e empresas foram a indecisão e o medo do amanhã. Eu sempre acreditei que as dificuldades aparentemente muito ruim em plena crise de pandemia, se tornaria muito em breve, após a injeção de recursos financeiros pelo governo federal no mercado via investimentos e financiamentos bancários a juros baixos e ajuda de custos as pessoas autônomas, profissionais liberais, viesse em curto espaço de tempo se tornar estável, apontando para um crescimento na renda das pessoas, com um grande implemento e crescimento na área da construção civil, gerando empregos e rendas para as pessoas e empresas. A nossa projeção para 2021, não será de recessão pelo fato da experiência passada, será esperado que as pessoas e empresas tenha consciência de uma maior análise nas tomadas de decisões e de investimentos, de vez a geração de empregos está como base as pequenas e medias empresas. O crescimento sinaliza para um crescimento constante em 2021 em pequeno índice. A economia do País em 2021, não será igual ao ano de 2019, de vez antes mesmo da pandemia, a economia estava instável, ou seja, não sinalizava para expectativa econômica positiva, sinalizava em 2019, mais para uma recessão e uma quadro de incerteza econômica. Em 2021 as expectativas são de crescimento em pequeno índice com relação a Dezembro/2020, onde as experiências e o resultado da crise, trouxe uma maior capacitação e a auto responsabilidade dos gestores empresariais na condução do verdadeiro objetivo social dos empreendimentos, gerando assim gradativamente uma recolocação dos empregos perdidos em 2020, por conseguinte uma melhor condição e satisfação de vida entre as pessoas, famílias e empresas. Onde o exercício da fé em Deus e a perseverança são fatores de suma importância na superação de todas as dificuldades que a vida nos apresenta sempre. Enfim a perda do temor a Deus, perda do caráter e perda da dignidade da pessoa humana. Acredito que Deus mentor, criador e coordenador de nossas vidas e em cumprimentos de seus planos para com a humanidade, por ser justo e fiel nos deu livre arbítrio de nossos atos. Deixando assim as coisas acontecerem e vem cobrando a humanidade em todos os sentidos e de igualdade no momento. Chegou a vez da natureza que está mudada onde, o ar voltou a naturalidade, rios mais limpos e as pessoas com tempo de pensarem, refletirem suas vidas, ideias, pensamentos, novos planos, novas formas de vida. Nunca mais esse mundo será o mesmo. Creio que tudo vai voltar ao seu normal em parte e outras dificuldades surgirão para edificação e cumprimentos dos planos de Deus para com a humanidade. Que esse artigo seja publicado e compartilhado por maior número de vezes para atingir e beneficiar o maior número de pessoas que estão precisando superar suas dificuldades e se capacitar de certa forma, para enfrentar outras adversidades que a vida nos apresentará sempre.


Artigo de autoria do Antônio Elieu Lima de Sousa, graduado em Ciências Contábeis, graduando em Direito. Especialialista em contabilidade, gestão empresarial, gestão tributária, gestão administrativa e especialista em reestruturação empresarial. Sócio fundador da SETEC - SERVICOS TÉCNICOS & CONTÁBEIS LTDA, Há 35 anos no mercado de contabilidade, dentre as mais renomadas empresas do ramo de contabilidade do Estado do Ceará. Sede própria em Pentecoste e atual no Vale do Curu, Vale do Acaraú, Pentecoste, São Luís do Curu, Paraípaba, Paracuru, São Gonçalo do Amarante, Caucaia, Fortaleza, Maracanaú, Pindoretama, Caridade, Cariré e em outras unidades da Federação. Nesse momento de pandemia e de grandes dificuldades financeiras, dando ênfase na reestruturação empresarial.      


Veja o vídeo da Setec:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!