Fortaleza tem maior incidência de casos de Covid-19 por habitante do país, diz Ministério da Saúde - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

quarta-feira, 8 de abril de 2020

Fortaleza tem maior incidência de casos de Covid-19 por habitante do país, diz Ministério da Saúde

Incidência é de 34,7% de acordo com dados apresentados pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (7).

Por G1 CE
Fortaleza possui a maior incidência do novo coronavírus entre as capitais do país. Segundo dados divulgados nesta nesta-feira (7) pelo Ministério da Saúde, na capital cearense, há 34,7 casos a cada 100 mil habitantes.

"Quando a gente olha por capital, Fortaleza tem incidência de 34,7. Realmente há uma preocupação, uma atenção especial com Fortaleza; eles têm um plano de contigência, têm profissionais muito qualificados, estamos atentos, estamos acompanhando junto com o secretário estadual e a secretária municipal", disse o Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério, Wanderson Oliveira.

O coeficiente de incidência da doença é uma métrica adotada pelo MS para homogeneizar os números por cidades, padronizando o levantamento por 100 mil habitantes. A incidência em Fortaleza é mais alta do que a registrada em São Paulo, maior capital do país, que ficou com incidência de 30,6 por 100 mil habitantes.

Os números de mortes e de diagnósticos positivos para a Covid-19, no Ceará, são de 40 e 1.188, respectivamente, pelos dados atualizados da Secretaria da Saúde do estado (Sesa) divulgados na plataforma IntegraSUS às 17h35 desta terça-feira (7).

A capital já ultrapassou mil casos da doença, chegando a 1.053 diagnósticos nesta terça.

'Extremamente preocupado'

Durante a coletiva desta terça, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, chegou a citar Fortaleza quando se referia às cidades com situação mais crítica com relação ao novo coronavírus, ao responder questionamento sobre a flexibilização do isolamento social proposto pelo Ministério em coletiva anterior.

“Nós somos um País de 215 milhões de habitantes. Se eu tivesse em Manaus hoje estaria extremamente preocupado, se eu tivesse em Fortaleza, extremamente preocupado. Então, a gente tem dito aqui em todas as nossas apresentações, atenção cidade tal, cidade tal, vocês são cidades que tão com os números chamando atenção do radar nacional”, disse o ministro.

Sobre os dados do Ministério com relação à incidência da doença no Ceará, o titular da Sesa, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto, acredita que podem revelar a transparência com que o Estado tem trabalhado com a situação, e não necessariamente um cenário "pior".

"Estamos vendo aumento do número de casos suspeitos pois estamos elencando vários bancos de dados que antes não eram elencados, o estado do Ceará tem hoje um dos sistemas mais transparentes do Brasil. Quando você pesquisa muito, notifica muito, adensa muito o dado, esse perfil que aparentemente é pior, essa densidade por 100 mil habitantes, essa prevalência por 100 mil habitantes, não necessariamente é pior", disse.

Para ele, "o reconhecimento disso pode ser inclusive melhor". "Pode ser que a gente esteja enxergando melhor nossa curva, do que, por exemplo, no caso da Itália, que percebeu 18 mortes com poucos casos, na semana seguinte, percebeu 100, depois, 400, depois 500 mortes/dia e não viram essa curva ascender de maneira adequada e de repente foram surpreendidos com essa curva íngreme", avaliou.

Municípios com casos da doença

No total, a Covid-19 foi diagnosticada em 39 municípios cearenses. Além da capital, apresentam manifestações da Covid-19 as cidades de: Aquiraz (24), Maracanaú (17), Caucaia (14), Sobral (11), Horizonte (6), Quixadá (4), Icó (3), Jaguaribe (3), Juazeiro do Norte (3), Aracati (2), Eusébio (2), Iguatu (2), Maranguape (2), Novo Oriente (2), Pacatuba (2), Amontada (1), Beberibe (1), Canindé (1), Cascavel (1), Catarina (1), Crateús (1), Croatá (1), Farias Brito (1), Guaraciaba do Norte (1), Ipaporanga (1), Ipueiras (1), Itaitinga (1), Itapipoca (1), Lavras da Mangabeira (1), Limoeiro do Norte (1), Mauriti (1), Pedra Branca (1), Pindoretama (1), Quixeramobim (1), Santana do Acaraú (1), Santa Quitéria (1), Senador Pompeu (1), Tianguá (1).

Dos óbitos, 30 aconteceram em Fortaleza, enquanto os demais aconteceram nos dez municípios a seguir: Aracati, Cariús, Eusébio, Farias Brito, Iguatu, Itaitinga, Jaguaribe, Maracanaú, Santa Quitéria e Tianguá.

A plataforma IntegraSUS ainda registra outros 12 casos confirmados sem informações sobre locais onde houve identificação da doença.

Prorrogação do decreto

O governador Camilo Santana prorrogou até o dia 20 de abril o decreto que autoriza o funcionamento exclusivo de serviços considerados essenciais.

Na noite deste domingo (5), Camilo chegou a anunciar o relaxamento da medida para determinados setores da indústria e do comércio nas áreas de limpeza, higiene e material de construção, além de feiras populares. Horas depois, contudo, o governador voltou a usar as redes sociais para afirmar que desistiu da flexibilização da quarentena. Ele argumentou que foi alertado pelo comitê que estuda a evolução do vírus no estado.

Diante da argumentação feita pelo nosso Comitê de Saúde, demonstrando preocupação com as flexibilizações de funcionamento colocadas pelo Governo do Estado nesse último decreto que entraria em vigor nesta segunda-feira (6), decidi revogar imediatamente o mesmo, e publicar um novo decreto, mantendo todas as proibições dos decretos anteriores, e com o mesmo prazo de validade de 15 dias. Se houve um erro nessa proposta de flexibilização, que seja imediatamente corrigido.

Com o novo anúncio, fica valendo até 20 de abril o decreto que proíbe o funcionamento de atividade não essencial:

Bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres;

Templos, igrejas e demais instituições religiosas;

Museus, cinemas e outros equipamentos culturais, público e privado;

Academias, clubes, centros de ginástica e estabelecimentos similares;

Lojas ou estabelecimentos que pratiquem o comércio ou prestem serviços de natureza privada;

Shopping center, galeria, centro comercial e estabelecimentos congêneres, salvo quanto a supermercados, farmácias;

Serviços de saúde no interior dos referidos dos estabelecimentos;
Feiras e exposições.

Desobediência à quarentena

Somente entre os dias 20 de março e 5 de abril, a Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) atendeu a 7.836 ocorrências por descumprimento ao isolamento social previsto em decreto assinado pelo governador Camilo Santana, como medida de combate à Covid-19. Os dados abrangem os núcleos da Ciops em Fortaleza, Sobral e Juazeiro do Norte.

Dessas quase 8 mil ocorrências, 3.891 referem-se a aglomerações de pessoas e 3.945 à abertura de comércios considerados não essenciais. Ao longo dos 17 dias, portanto, houve uma média de cerca de 460 ocorrências a cada 24 horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!