Em nove dias de 2020, 13 mulheres foram mortas no Ceará, um crime a cada 16 horas - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

Em nove dias de 2020, 13 mulheres foram mortas no Ceará, um crime a cada 16 horas

As amigas Katley Anne Freitas e Laura Adriana Carneiro estão entre as 13 vítimas. Elas foram mortas em um bar, em Quixadá, no dia 4
Treze mulheres foram mortas no Ceará no intervalo de apenas nove dias deste mês de janeiro de 2020, numa média de um caso a cada 16 horas. Dos 13 crimes de gênero, apenas um deles já está esclarecido e classificado como feminicídio. Outro foi caracterizado como matricídio (quando alguém mata a mãe). A maioria, porém, segue sem esclarecimento e sendo investigado pela Polícia.

O primeiro assassinato de mulher no Ceará ocorreu logo nos primeiros minutos de 2020, após a virada do ano. O caso ocorreu em Fortaleza, onde uma jovem de 18 anos de idade, identificada por Valdiane Almeida da Silva foi morta, a tiros, na Avenida Sargento Hermínio, no bairro Presidente Kennedy, na zona Oeste da Capital.

No dia seguinte (2), ocorreram dois crimes do gênero. Em Fortaleza, a estudante Karolaine Maria Carneiro dos Santos, 18, foi assassinada a facadas e golpes de gargalo de garrafa, além de tiros, no bairro Bom Jardim. Horas depois, Clarissa Gomes da Silva, 24 anos, foi assassinada na cidade de Banabuiú, no Sertão Central (a 194Km de Fortaleza).

No dia 4, mais dois crimes. Bandidos invadiram um bar na periferia da cidade de Quixadá e mataram, a tiros, as amigas Katley Anne Freitas, 22 anos; e Laura Adriana Freitas Carneiro, 43.

No domingo, dia 5, foram registrados três crimes de morte vitimando mulheres. Em Juazeiro do Norte, foi encontrado o corpo de Cheyla Cristina Lima Lins,34 anos, que estava grávida. Ela foi estuprada e morta a facadas dentro de casa, no bairro São José. O assassino está foragido.

Em Sobral, na Região Norte, um jovem de 21 anos matou a facadas a mãe adotiva, a aposentada Maria Terezinha Dias Menezes, 74 anos, por ela ter se recusado a dar dinheiro ao filho para este comprar drogas. O acusado foi preso dentro da igreja da Sé de Sobral.

No mesmo dia, domingo (5), em Fortaleza, foi registrado o assassinato de uma mulher de 32 anos, identificada como Thaís Avelino de Sousa Nascimento. O crime ocorreu na área da Grande Messejana. Thaís foi atingida a tiros.

Mais casos

No dia 6, uma segunda-feira, a cidade de Banabuiú registrou o segundo assassinato de mulher do ano, em apenas quatro dias. A ex-dançarina de uma banda de forró, identificada como Janaína Carneiro de Oliveira, 27 anos, foi assassinada, a tiros, quando seguia para casa a pé. Os assassinos fugiram numa motocicleta.

Em Fortaleza, bandidos em uma moto abriram fogo contra um carro onde estavam sete pessoas que voltavam de uma festa. O crime ocorreu na Avenida Godofredo Maciel, no bairro Mondubim. A guiadora do automóvel, Alanes dos Santos Camelo, 22 anos, foi baleada e morreu quando era atendida na UPA do Conjunto José Walter. Recebeu vários tiros.

No dia 7, a dona de casa Ana Angélica Capistrano, 48 anos, foi assassinada a tiros pelo marido. O crime ocorreu quando o casal seguia de carro pela Avenida Mister Hull, no bairro Antônio Bezerra. Depois de atirar contra a mulher, o assassino fugiu, tentou suicidar-se, mas foi preso por policiais militares do CPRaio. 

No bairro Bom Jardim, em Fortaleza, uma adolescente de 17 anos de idade, identificada como Inara do Nascimento Ferreira, foi assassinada a tiros.

E em Pacajus, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), também no dia 7 último, o corpo de uma mulher foi encontrado em uma estrada de terra na localidade de Baixa Grande. A vítima foi morta com tiros de arma de grosso calibre no rosto. No dia seguinte, foi reconhecida pelos familiares na sede da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) e identificada oficialmente como Maria de Lourdes Ramos Lopez, 21 anos.

Fonte: CN7

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!