Eleição para conselheiro tutelar em Pentecoste foi 'corrida eleitoral antecipada', denuncia MP - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Eleição para conselheiro tutelar em Pentecoste foi 'corrida eleitoral antecipada', denuncia MP

Ministério Público do Ceará impugnou candidatura de cinco pessoas no município.


Por G1 CE

Eleição para conselheiro tutelar em Pentecoste foi 'corrida eleitoral antecipada', denuncia MP — Foto: Comissão Eleitoral do Conselho Tutelar/Divulgação


O Ministério Público do Ceará (MPCE) pediu nesta quinta-feira (10) ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica) a impugnação da candidatura de cinco participantes da eleição para vagas de conselheiro tutelar de Pentecoste, município a 92 quilômetros de Fortaleza.

De acordo com o promotor de Justiça Jairo Pereira Pequeno Neto, autor do pedido de impugnação, os candidatos foram eleitos com apoio de políticos, o que contraria as regras de escolha dos conselheiros tutelares. A eleição para o Conselho Tutelar ocorreu no domingo (6) em todo o país. ​

Segundo Jairo Pereira Pequeno Neto, a eleição do Conselho Tutelar de Pentecoste foi “uma verdadeira corrida eleitoral antecipada, uma vez que políticos apoiaram diretamente alguns candidatos, utilizando-se da eleição do Conselho como forma de demonstração de força política no município”.

Para ele, os concorrentes com pedido de impugnação concorreram à vaga em condições desonestas.

Influência política

Das candidatas com o pedido de impugnação, três foram eleitas, enquanto duas ficaram como suplentes. As candidatas Patrícia do Tiago e Diene do Deca são esposas de vereadores e ocuparam, respectivamente, a segunda e terceira colocação na lista do resultado final divulgado pelo Comdica, de um total de 7.654 votos apurados em 24 urnas.

A candidata Diene do Deca teve um assessor do esposo vereador a sua disposição, durante toda a campanha. ​

Em sessão realizada na Câmara de Vereadores, no dia seguinte à eleição, "alguns parlamentares deixaram claro que apoiaram diretamente determinados candidatos". As regras para eleição de conselheiro tutelar e o cargo político de vereador proíbem a aliança político-partidária das candidaturas, através de indicação, e proíbem manifestação de qualquer tipo de apoio político aos candidatos a conselheiro tutelar.​

A segunda colocada, Patrícia do Tiago, recebeu apoio do marido, que é vereador, e de um deputado, conforme divulgado nas redes sociais. Já Carol Leite, irmã do presidente da Câmara Municipal de Pentecoste, conseguiu apoio de, pelo menos, outros três políticos, e ficou na quarta colocação. Ela obteve 300 votos em uma única seção.

Durante sessão da Câmara Municipal posterior às eleições para o Conselho Tutelar, o vereador Manoel Forte declarou apoio à candidata Carol Leite. Ele afirmou que possuía voto e força política, "ao contrário de muita gente que só fazia barulho, mas que não tinha voto para preencher uma cartela de bingo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!