Camilo critica regras aprovadas na Câmara para partilha do pré-sal - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

sábado, 12 de outubro de 2019

Camilo critica regras aprovadas na Câmara para partilha do pré-sal

Governador disse que o acordo foi alterado na Câmara - Foto: José Leomar
Com a previsão de prejuízo de R$ 183 milhões para o Ceará, divulgada pelo Diário do Nordeste, na edição de ontem, o governador Camilo Santana (PT) elevou o tom e criticou as regras aprovadas, na quarta-feira (9), pela Câmara dos Deputados.

Segundo ele, as mudanças descumprem um acordo selado entre as lideranças do Legislativo Nacional e os governadores sobre a partilha do dinheiro que será arrecadado. 
Em evento no Palácio da Abolição, ontem, Camilo disse que o acordo feito, no dia da votação, no Fórum Nacional dos Governadores, era para manter a proposta de distribuir o dinheiro do leilão entre estados e municípios, de acordo com o Fundo de Participação dos Estados (FPE) e com o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). 

“Ficou definido que seriam 15% para os municípios e 15% para os estados via de regra do FPE e FPM. Infelizmente, de última hora, se mudou esse critério, tirando 5% dos estados para redistribuir com os estados mais exportadores através da Lei Kandir e isso tirou quase um terço dos recursos que viriam para os estados do Norte e Nordeste. Acho que quebramos um acordo”, alegou o chefe do Executivo. 

Mudanças 

Camilo frisou que o acordo selado com os governadores pela manhã, antes da votação à noite, na Câmara dos Deputados, foi divulgado em uma carta. Um dos tópicos traz que 30% dos recursos arrecadados com o leilão do pré-sal devem ser distribuídos conforme as regras do FPE e FPM. Ou seja, 15% para estados e 15% para os municípios. 

Eles estabeleceram, ainda, na carta, que o Governo Federal deve distribuir 30% dos royalties e “participação especial” para os entes federados, de acordo com as mesmas regras. Pela proposta elaborada por senadores e relatada por Cid Gomes (PDT), o Ceará seria beneficiado com R$ 667 milhões. Após a mudança aprovada pela Câmara, os estados devem receber 10% dos recursos da cessão onerosa, seguindo os critérios do FPE, enquanto os outros 5% vão para os estados exportadores. 

Já o percentual previsto para os municípios, de 15%, está mantido. Com as novas regras, o Ceará deve receber R$ 483 milhões, cerca de R$ 180 milhões a menos. 

Senado

“Infelizmente, nós questionamos essa postura (da Câmara), mas como vivemos em um País democrático, essa foi a decisão da Câmara, ainda vai para o Senado. Esperamos que o Senado possa ainda fazer essa discussão, porque havia um acordo entre os 27 governadores”, destacou o petista. Pelos novos critérios, estados do Norte e Nordeste perderam recursos, enquanto os do Sul e Sudeste ganharam. 

Estados como São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso foram os mais beneficiados. A tentativa de alterar o texto da Câmara esbarra em um problema: senadores avaliam que é impossível fazer modificações que sejam confirmadas depois por deputados federais. 

O senador Omar Aziz (PSD-AM), relator do projeto da cessão onerosa na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, afirmou que acredita ser viável aprovar os critérios da Câmara para a distribuição dos recursos.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!