Polícias capturam 125 suspeitos de envolvimento com ataques no Ceará - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

sábado, 28 de setembro de 2019

Polícias capturam 125 suspeitos de envolvimento com ataques no Ceará

Na manhã de ontem, 38 adultos foram presos em uma operação FOTO: HALISSON FERREIRA
Ainda que em menor intensidade, o fogo continua deixando marcas de destruição em Fortaleza, Região Metropolitana e interior. As forças de segurança do Ceará, porém, têm se mobilizado de forma incisiva para conter as cenas de violência. Até a noite de ontem (27), oitavo dia consecutivo de ataques, policiais militares e civis capturaram 125 pessoas, sendo 32 adolescentes, suspeitas de participação nas investidas criminosas. A informação é da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Do total de detidos, 38 adultos foram presos e 6 menores de idade apreendidos durante a Operação Eirene, deflagrada pela Polícia Civil nesta sexta-feira, cujo nome faz alusão à deusa grega que personifica a paz. O grupo é suspeito de integrar a facção Guardiões do Estado (GDE), que teria ordenado os ataques. Segundo o titular da SSPDS, André Costa, mais de 130 policiais em 30 viaturas participaram do cumprimento dos mandados.

Já na Operação Torre, na última quinta-feira (26), Polícia Federal e o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Ceará (MPCE), com apoio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e da SSPDS, chegaram ao nome de cinco líderes da GDE que já estavam presos e capturam um sexto, suspeito de executar os crimes de identidade não revelada pelo órgão.

Francisco Tiago Alves do Nascimento, 'Magão'; Marcos André Silva Ferreira, 'Branquinho' ou 'Dedé'; Yago Steferson Alves dos Santos, 'Supremo' ou 'Gordão'; Deijair de Souza Silva, o 'Mestre' ou 'De Deus'; e Ednal Braz da Silva, o 'Siciliano', são apontados pela Polícia como os mandantes dos ataques e integrantes da alta cúpula da facção.

Transferências

Além das prisões, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) isolou os chefes do grupo criminoso. Em tempo, 507 internos já foram remanejados. A primeira leva aconteceu na última terça-feira (24), quando 257 detentos foram transferidos para presídios federais, seguidos de 150 na quarta-feira (25) e outros 100 na quinta-feira (26), estes últimos realocados dentro das próprias unidades. 'Siciliano', preso em Pernambuco, foi o último a ser transferido ontem. O suspeito foi encaminhado para o Presídio Federal de Segurança Máxima de Mossoró.

Um pedido do MPCE, requerido ontem em regime de urgência ao Poder Judiciário, solicita a transferência para presídios federais de 12 presos com suposto envolvimento nos ataques. O órgão justificou que os homens "exercem posição de comando dentro da facção" e possuem "vastas fichas criminais".

"Eles não vão conseguir regalia nenhuma dentro dos presídios e nada do que eles querem, a não ser serem recolhidos para esse mesmo sistema penitenciário e sofrer todo o rigor que a lei exige", reforçou André Costa, durante entrevista à imprensa na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na manhã de ontem.

Prejuízos

Apesar do combate direto, o crime organizado ainda se mostra resistente ao aparato policial. Do dia 20 de setembro (sexta-feira) até ontem, o Estado acumulava 94 ataques em 27 das 184 cidades cearenses. As ações criminosas atingem prédios privados, veículos pessoais, coletivos e escolares, além de equipamentos de uso público.

Dentre os últimos ataques, figura uma série de incêndios, como os registrados a caminhões na BR-222, em São Luís do Curu, e na Avenida Vicente de Castro, no Cais do Porto, e um ônibus escolar na Rua Maria Júlia, no bairro Bom Jardim, em Fortaleza.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!