Delegada indicia médico Hilson Paiva por dois crimes de estupro a vulneráveis - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Publicidade

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

sábado, 27 de julho de 2019

Delegada indicia médico Hilson Paiva por dois crimes de estupro a vulneráveis

Delegada Joseana Oliveira ouviu oito mulheres abusadas pelo médico Hilson Paiva
Já foi remetido à Comarca da cidade de Cruz (a 235Km de Fortaleza), um dos inquéritos instaurados pela Polícia Civil que comprovou a prática de dois crimes de estupro de vulnerável pelo médico generalista e prefeito afastado do Município de Uruburetama, José Hilson de Paiva, 70 anos. O inquérito foi finalizado nesta sexta-feira (26) pela delegada Joseana Oliveira, titular da Delegacia de Cruz. Oito mulheres prestaram depoimento naquela unidade.

De acordo com a delegada, seis das oito mulheres relataram prática de abusos sexuais quando eram atendidas pelo médico em seu consultório naquela cidade. Outros dois casos foram caracterizados como estupro a vulnerável, que, conforme a Lei Penal, só prescreve após 10 anos do fato.

“Durante as diligências e depoimentos chegamos à conclusão de que a conduta dele se caracterizou e se encaixou como crime de estupro a vulnerável, pois no momento do ato a vítima não havia como oferecer resistência”, esclareceu a delegada.

Preso na Capital

O advogado de defesa do médico, criminalista Leandro Vasques, disse não descartar a hipótese de que as duas vítimas podem ter sido “fabricadas” pela oposição política do prefeito, independente das vítimas reais, que de fato devem existir”.

O prefeito que está afastado da Prefeitura de Uruburetama pelo prazo mínimo de 90 dias, permanece preso em Fortaleza, numa cela da Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), no Centro da cidade. Ele teve duas prisões preventivas decretadas pela Justiça.

Durante a semana, a Justiça negou o pedido da defesa de anular a sessão extraordinária realizada pela Câmara de Vereadores de Uruburetama que decidiu afastar o prefeito do cargo. Além disso, foram rejeitados os pedidos de habeas corpus e de prisão domiciliar.

Na semana passada, José Hilson foi levado até a cidade de Itarema (a 210Km de Fortaleza) onde foi formalmente apresentado à Justiça já na condição de preso. De volta à Capital, ele permanece detido. Hilson também está suspenso de exercer sua profissão, através de uma decisão do Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec-CE) e foi expulso do partido pelo qual se elegeu, o PC do B.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!