"Não dei fé que tinha sido baleada, só vi minha neta, gritei, depois desmaiei", diz idosa ferida na Serrinha - NOTÍCIAS DE PENTECOSTE

Últimas Notícias

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!

quarta-feira, 27 de junho de 2018

"Não dei fé que tinha sido baleada, só vi minha neta, gritei, depois desmaiei", diz idosa ferida na Serrinha

Após a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) desmentir uma ocorrência de tiroteio que deixou uma mulher e uma criança feridas, O POVO Online foi até a o local na tarde desta terça-feira, 26, nas proximidades da Igreja da Cruz Grande, e se deparou com a senhora de 44 anos e a criança de cinco anos, ambas feridas supostamente na ocorrência, conforme relatado pelos moradores. A vizinhança atribui os ferimentos a ação policial realizada nessa segunda-feira, 25. 

"Estava chegando em casa, eu, minha filha e minha neta. Estava faltando energia na rua, mas ainda estava claro. E de repente um tiroteio. Eles (policiais) tinham entrado de uma vez no beco e estavam atirando. Nem dei fé que o tiro tinha pego em mim, só vi minha netinha e gritei que eles tinham atirado nela", disse. 

A avó está sem condições de trabalhar e a neta perdeu o movimento do dedo. A mulher relata que trabalha em uma panificadora, ganha R$ 150 por semana, não possui carteira assinada e agora a renda da família ficou comprometida. "Meu aluguel vence amanhã e eu doente. Minha netinha está sentido dor. Ela perdeu o movimento do dedo e vai voltar segunda-feira, 2, para fazer um enxerto", relatou. 

"Na hora meu marido saiu gritando. Saiu gritando 'acuda a minha mulher' e eles entraram na viatura e saíram. Quem socorreu foi a comunidade. O motorista de táxi que me levou", afirmou. 

De acordo com a vítima, os projéteis ficaram espalhados na rua. No dia, ela relata que foi liberada no hospital por volta da meia-noite, junto da criança. Nesta terça-feira, 26, por conta da persistência das dores, os vizinhos providenciaram a ida da mulher no posto Luis Albuquerque Mendes, no bairro Serrinha.

Os próprios vizinhos se reuniram para pagar os remédios. Os moradores, que pediram para não serem identificados, estão revoltados com a situação e com medo.

Eles relatam que estão sendo ameaçados constantemente por policiais após o ocorrido e foram ameaçados que se denunciassem o caso à Controladoria Geral de Disciplina (CGD) dariam "sumiço" neles.

O caso 

Na segunda-feira, 26, houve uma manifestação e tentativa de atear fogo em ônibus, no entanto a ação foi evitada pela Polícia. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) apresentou, por meio de nota, uma versão diferente, que não há registros da ocorrência ou da entrada de feridos em unidades de saúde, no entanto O POVO Online obteve o receituário do Frotinha da Parangaba.

Nota da SSPDS na íntegra 

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) esclarece que não procede a informação acerca de uma criança e uma mulher que teriam sido baleadas na noite de ontem (25), no bairro Serrinha – Área Integrada de Segurança 05 (AIS 05). A pasta informa ainda que não há registro de confronto naquela região, também na data dessa segunda-feira. Conforme informações repassadas pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) e também pelo 21° Batalhão da Polícia Militar do Ceará, uma viatura da Força Tática (FT) realizava um patrulhamento pela Avenida Silas Munguba, quando se deparou com uma mulher pedindo ajuda porque uma criança de cinco anos estaria um corte na mão. A composição socorreu a criança para uma unidade de saúde, onde ela recebeu um curativo e logo foi liberada. 

Roubo a coletivo

Também na noite de ontem, após este primeiro registro, a PM foi acionada para uma outra ocorrência em que um grupo tentou atear fogo em um coletivo, ainda na Avenida Silas Munguba, na Serrinha. Conforme um inquérito policial instaurado no 11° Distrito Policial (DP), após o relato do próprio condutor do coletivo, os homens abordaram o ônibus, e em seguida, ameaçaram e assaltaram os passageiros. Os suspeitos chegaram, ainda, a roubar o caixa do veículo. Com a chegada do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), o grupo se dispersou. Foi apreendido um galão contendo gasolina. A investigação acerca do caso é de competência do 25° Distrito Policial (DP).

Solicitação 

De posse dos documentos e do relato das vítimas O POVO Online pediu uma atualização da SSPDS, como também da Controladoria Geral de Disciplina (CGD). A Secretaria de Segurança, em nota atualizada, segue afirmando que a informação não procede e que não houve registros, porém admite que enviará uma equipe policial para orientar a vítima a ir até uma delegacia para "noticiar o fato". 

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) esclarece que não houve registro acerca de uma criança e uma mulher que teriam sido baleadas na noite de ontem (25), no bairro Serrinha – Área Integrada de Segurança 05 (AIS 05). A pasta informa ainda que não há registro de confronto naquela região, também na data dessa segunda-feira. Conforme informações repassadas pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) e também pelo 21° Batalhão da Polícia Militar do Ceará, uma viatura da Força Tática (FT) realizava um patrulhamento pela Avenida Silas Munguba, quando se deparou com uma mulher pedindo ajuda porque uma criança de cinco anos estaria um corte na mão. A composição socorreu a criança para uma unidade de saúde, onde ela recebeu um curativo e logo foi liberada. A SSPDS reforça que não há registro de disparos de arma de fogo na região. A Secretaria ressalta ainda que para prosseguimento de investigações é necessário o registro da ocorrência, o que não aconteceu até o presente momento. Por fim, informa que enviará uma equipe policial até a residência da mulher, para orientá-la a comparecer à delegacia a fim de noticiar o fato.

A CGD ainda não retornou o contato da reportagem. 

O POVO Online não divulga os nomes das vítimas para preservá-las.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie aqui!!!