quarta-feira, 2 de maio de 2018

Pentecoste ainda não registrou casos de H1N1; entenda polêmica


Os sintomas da gripe H1N1 são bem parecidos com os da gripe comum e a transmissão também ocorre da mesma forma: febre alta, dores no corpo, dores na garganta e de cabeça, tosse seca, espirros, calafrios e fadiga. O problema da gripe H1N1 é que ela pode levar a complicações de saúde muito graves, podendo levar os pacientes até mesmo à morte.

Na terça-feira, 1º de maio, o Dr. Valderlan Fechine, médico do Hospital Regional e Maternidade do Vale do Curu, fez as seguintes postagens em sua página pessoal na rede social Facebook.
Na primeira publicação, o médico relata que em seu plantão no dia 30 de abril todas as pacientes da enfermaria feminina foram diagnosticadas com pneumonia. Além delas, duas crianças ficaram internadas e dois adultos apresentaram insuficiência respiratória, segundo Valderlan Fechine, atestando a mesma doença. Ele também diz que todos os pacientes descritos são suspeitos de estarem infectados com vírus da gripe H1N1, e um estaria isolado recebendo tratamento por ter contraído o vírus.

Ainda na postagem, como forma de prevenção, o médico orienta aos pentecostenses a procura pela vacina e o uso de máscara facial para aqueles que não conseguirem se vacinar.

Valderlan disse estar divulgando a informação nas redes sociais para não deixar o governo abafar o surto de H1N1 no Ceará. Além disso, ele ressalta que não está tentando causar pânico, e sim realizado uma orientação que deveria ser feita pelo Governo do Estado.

Com 367 compartilhamentos no Facebook, o texto do médico ganhou forte repercussão nas redes sociais e nos aplicativos de mensageiros. Os comentários são de elogios na publicação original, mas em disseminações da cópia do texto, feitas por internautas, houve a propagação de pânico dando a entender que Pentecoste está passando por uma epidemia e a Prefeitura Municipal estaria escondendo o número de pacientes infectados com a doença.
Também na rede social Facebook, a secretária de Governo Erika Pinho Tabosa se manisfestou sobre o caso. De acordo com ela, o município ainda não registrou casos de H1N1. Segundo informou para o blog Notícias de Pentecoste na tarde desta quarta-feira (02), existem apenas pacientes suspeitos, sendo um do município de Apuiarés que recebeu atendimento e está sendo acompanhado no hospital de Pentecoste.

A Secretária Erika Pinho disse que a Prefeitura Municipal de Pentecoste não pode comprar lotes da vacina, pois se fizesse o prefeito Bosco Tabosa estaria cometendo improbidade administrativa, e por isso o município tem de esperar mais lotes do Ministério da Saúde, assim como outras cidades do Brasil. Sobre uma possível demissão do médico que circulou nas redes sociais, Erika afirmou que a informação é falsa e Valderlan permanece no cargo, pois ele é concursado, mas deverá provar o que disse na supracitada publicação.

A secretária de Saúde Geciliane Alcântara disse que o clima desta estação, hora úmido, outra hora abafado, aumenta as chances de ocorrência de infecções respiratórias. Segundo ela, a mudança brusca de temperatura é uma das principais causas do aumento de internações hospitalares por pneumonia nesta época do ano. "Qualquer pessoa pode contrair essa doença, principalmente no inverno, que é quando os números de pacientes aumentam. Os sintomas são parecidos com os da gripe H1N1, por esse motivo as pessoas têm tido preocupações e ficado em alerta, com medo, mas não há motivos para pânico", explicou.

Conforme Geciliane, existem ações que devem ser feitas para evitar a contaminação: utilizar lenços descartáveis; deixar o ambiente sempre ventilado; cobrir boca e nariz quando espirrar ou tossir; não tocar na região dos olhos, nariz e boca sem que a mão esteja limpa; não compartilhar objetos de uso pessoal, como garrafas, copos e talheres; lavar sempre as mãos, principalmente após tossir e espirrar. Essas ações, além de importantes, conforme a secretária, devem ser praticadas por todos. "A proteção da vacina se inicia depois de pelo menos 14 dias após a aplicação, e se torna mais eficiente depois de 30 dias. Portanto, aqueles que se vacinaram recentemente não estão completamente imunes e devem seguir esse procedimento", alertou.

De acordo com a coordenadora de epidemiologia da Secretaria de Saúde de Pentecoste, Nelyza Chagas, o Ministério da Saúde enviou para Pentecoste, de forma fracionada, cerca de 3500 doses da vacina para o grupo prioritário da primeira etapa da campanha: pessoas idosas, crianças de seis meses a cinco anos, trabalhadores de saúde, professores, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas – e os funcionários do sistema prisional. A forma de vacinação segue a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Conforme o Ministério da Saúde, no dia 12 de maio acontecerá o Dia D de mobilização, um sábado em que os 65 mil postos de vacinação de todos os estados ficarão abertos para intensificar a vacinação. A expectativa do Ministério da Saúde é vacinar 54,4 milhões de pessoas até 1º de junho.

Segundo um Boletim Epidemiológico da Secretaria da Saúde do Ceará, de 91 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza registrados no Estado em 2018, 80 evoluíram positivamente, o que representa 87,9% de cura. Foram registrados 11 óbitos no período. A letalidade por influenza é de 12,1% no Ceará este ano.
Por André Barros
Editor do Blog Notícias de Pentecoste

Compartilhe com seus amigos:

Postar um comentário

 
Subir
Copyright © 2015 NOTÍCIAS DE PENTECOSTE. Designed by Esgwebmaster