sexta-feira, 7 de julho de 2017

Dez presos são transferidos da Cadeia Pública de Pentecoste; Ministério Público quer interditar o presídio

Devido a quantidade de fugas registradas somente em 2017, onde mais de 40 detentos conseguiram escapar da Cadeia Pública de Pentecoste, e em razão da falta de estrutura organizacional e física do prédio, o Dr. Jairo Pequeno Neto, promotor de Justiça respondendo em Pentecoste e comarcas vinculadas de Apuiarés e General Sampaio, conseguiu junto ao Dr. Sandro Camilo, secretário-adjunto Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus), a transferência de 10 detentos para o Centro de Triagem e Observação Criminológica - CTOC em Fortaleza.

Foram transferidos na tarde desta sexta-feira, 07 de julho:
  1. Emanoel Ítalo da Cruz Gomes;
  2. Dyonnes Alves de Paula;
  3. Jonathan Rodrigues dos Santos Silva;
  4. Daniel Alves Rodrigues;
  5. Davi Nascimento de Sousa;
  6. Davi Silva Lima;
  7. Jacó Silva Ferreira;
  8. Sebastião Coelho dos Santos Júnior;
  9. Alexandro das Chagas;
  10. Daniel Martins de Sousa.
O promotor Jairo Pequeno está acompanhando a situação de perto. Ele afirma que passou a considerar a interdição da penitenciária devido aos adiamentos da reforma por parte da Sejus. "Está um caos, é inegável. A unidade não abrange só Pentecoste, mas os municípios de General Sampaio e Apuiarés. A cadeia não está apropriada para abrigar os presos e precisa urgentemente de uma reforma", comentou ao Jornal o Povo.

Conforme o membro do MPCE, a Cadeia Pública de Pentecoste está abrigando presos acima da capacidade máxima. O promotor diz que, atualmente, a unidade deve ter cerca de 50 detentos. Neste ano, Jairo já solicitou na Justiça a transferência de 30 detentos para presídios da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).


Por André Barros
Editor do Blog Notícias de Pentecoste

Compartilhe com seus amigos:

Postar um comentário

Matérias produzidas por estagiários

 
Subir
Copyright © 2015 NOTÍCIAS DE PENTECOSTE. Designed by Esgwebmaster