sexta-feira, 18 de novembro de 2016

SOCORRER O POLICIAL OU O TRAFICANTE? CADA SOCIEDADE COLHE OS FRUTOS DAS SUAS ESCOLHAS


Na manhã de quinta-feira, 17, durante o programa “Encontro” da apresentadora Fátima Bernardes, houve um quadro em que os participantes deveriam escolher entre socorrer um policial ferido levemente ou um traficante em estado grave. Quem você escolheria?

Pois bem. Dos 08 convidados que responderem esta questão, 07 escolheram socorrer o traficante e apenas 01 optou por auxiliar o policial. Mas que conclusões podemos tirar deste ignóbil resultado? 

Primeiro, é importante destacar que a Rede Globo, seguindo sua cartilha contra valores e de ataque aos policiais militares, subliminarmente conduziu os participantes a responderem que socorreriam o traficante afirmando que este estava gravemente ferido e que o policial apresentava ferimentos leves. Afinal, esse era o resultado que a Rede Globo desejava obter.

Mas, a despeito do ardil utilizado por aquela odiosa Rede de Televisão, o resultado revela algo ainda mais grave: o desmoronamento moral e a completa inversão de valores da sociedade brasileira contemporânea, especialmente a carioca.

A decisão entre socorrer o policial ou traficante é, em última análise, a escolha entre o bem e o mal. O policial militar saí todos os dias da sua casa sem saber se voltará para o seio da sua família, oferecendo sua vida para proteger aqueles que nem mesmo conhece. Enquanto isto, o traficante destrói famílias e, sem qualquer respeito pelos direitos humanos, assassina nossos filhos e filhas. Decidir entre o policial e o traficante é, portanto, decidir entre a vida e a morte, entre a ordem e a barbárie, entre o bem e o mal.

Mas, ainda assim, a nossa sociedade - representada por aquelas 08 pessoas - escolheu socorrer o traficante e abandonar o policial à sua própria sorte, ou seja, socorrer quem a agride e abandonar quem a protege. 

Talvez seja melhor acreditar – e é assim que penso – que aquelas 07 pessoas que escolheram socorrer o traficante não representam legitimamente a vontade do povo brasileiro. Ou então seja melhor acreditar que não foram capazes de perceber que estavam sendo sorrateiramente induzidas pela Rede Globo a responderem que socorreriam o traficante. Ou, quem sabe, são pessoas ardilosamente selecionadas pela Rede Globo justamente porque seus perfis indicavam que responderiam como responderam.

De todo modo, vale uma observação importante: países de primeiro mundo e com democracias consolidadas valorizam seus policiais, pois sabem que são eles quem os protegem dos traficantes e de outros criminosos que não respeitam a vida e os direitos alheios.

Cada sociedade faz suas escolhas e colhe os seus frutos. E você, quem socorreria? O policial ou o traficante? Lembre-se: os frutos da sua decisão serão colhidos por você e por seus filhos!

"EU ESCOLHO SOCORRER O POLICIAL!"

Texto do Capitão Augusto - Deputado Federal

Compartilhe com seus amigos:

Um comentário :

  1. Isso aí, sim, é indução ao mal, à desumanidade. O texto do deputado policial está repleto do ódio que circula nas redes sociais; a trágica máxima de que "bandido bom é bandido morto ", o que é uma incitação à fazer justiça com as próprias mãos, induzindo as pessoas à matarem um bandido, a fazerem papel "social e cidadão" e tornar -se um herói ao desempenhar papel tão honroso! Acontece que no Brasil não há pena de morte - senão em caso de guerra declarada, segundo a Carta Magna - e que o problema da violência é mais político que social e ele, enquanto Deputado Federal é um dos maiores culpados pelas leis frouxas e também pela carência de políticas públicas de Educação e Segurança Pública, que são as duas principais responsáveis por este caos. Eu repudio o texto demagógico e tendencioso à violência e desumanidade do deputado policial.

    ResponderExcluir

Matérias produzidas por estagiários

 
Subir
Copyright © 2015 NOTÍCIAS DE PENTECOSTE. Designed by Esgwebmaster