terça-feira, 13 de setembro de 2016

PF desarticula grupo que prometia fraudar urnas eletrônicas na eleições

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (13/09) uma operação para desarticular uma organização criminosa que prometia fraudar urnas eletrônicas nas eleições municipais deste ano.
A Operação Clístenes cumpriu três mandados de prisão preventiva, dois em Brasília (DF) e um em Xangri-lá (RS), três mandados de condução coercitiva (quando a pessoa é levada para prestar esclarecimento), em Xangri-lá, Canoas (RS) e Piripiri (PI), e cinco mandados de busca e apreensão, em Canoas, Xangri-lá, Goiania (GO) e dois em Brasília.
Segundo a PF, a denúncia partiu de um prefeito de um município da região metropolitana de Porto Alegre. “Os criminosos diziam ter contato com uma empresa que atualiza o software das urnas eletrônicas e cobrariam R$ 5 milhões para, supostamente, fraudar a eleição para prefeito e R$ 600 mil para, supostamente, fraudar a eleição para vereador”, diz nota da PF.
Ainda de acordo com a PF, após o cumprimento dos mandados de hoje, “constatou-se tratar de estelionato, pois não há indícios de que os criminosos realmente poderiam obter êxito em fraudar as urnas eletrônicas e, nem mesmo, teriam contato com a empresa de atualização de software”.
Os presos responderão pelos crimes de estelionato e organização criminosa, cujas penas somadas variam de quatro a treze anos de reclusão.
Sobre o nome da operação, a PF disse ainda que “Clístenes foi um político grego antigo, que levou adiante a obra de Sólon e, como este último, é considerado um dos pais da democracia”.
Via: Ceará Agora

Compartilhe com seus amigos:

Postar um comentário

Matérias produzidas por estagiários

 
Subir
Copyright © 2015 NOTÍCIAS DE PENTECOSTE. Designed by Esgwebmaster